Selma Ottilla Lovisa Lagerlöf, Nobel de Literatura, 1909

“Selma Lagerlöf: a brilhante escritora que lutava por direitos iguais entre homens e mulheres”


Quando nos foi dada a missão de escrever sobre Selma Lagerlöf e suas conquistas enquanto mulher e ganhadora do prêmio Nobel de Literatura, não poderíamos simplesmente fazer algumas menções sobre a vida dela e sua relevância para ser agraciada com um prêmio de tamanha relevância. Faz-se necessário também, mostrar o quanto ela, em seu papel de mulher na sociedade, buscou com todos os meios que dispunha, lutar pelos direitos das mulheres na sociedade, contra a discriminação e hostilidade, e pelo reconhecimento de outras escritoras do campo da literatura. Selma fez tudo isso com o suporte e incentivo de outras mulheres e assim percebemos que há muito tempo tem sido, elas, por elas!

Autora de uma lista extensa de obras publicadas em uma época em que não cabia às mulheres ocuparem um lugar de destaque na história da literatura de um país e nem em uma instituição fundada segundo valores patriarcais, Selma Ottilla Lovisa Lagerlöf tornou-se a primeira mulher a receber o maior reconhecimento pela sua carreira no campo literário.  Assim, em 1904, recebeu a principal medalha de ouro da Academia Sueca e foi no ano de 1909, aos 51 anos de idade que a escritora foi agraciada com o prêmio Nobel.

Retrato de Selma Lagerlöf

Fonte: rosefirerising; Licença: CC BY-NC-ND 2.0

 

Alvo de duras críticas por ser mulher e representante de um estilo moderno no campo literário vindas de Carl David af Wirsén, secretário da Academia Sueca, o nome de Lagerlöf já havia sido sugerido à Academia por cinco vezes, mas era sempre afastado por Wirsén, que entendia que a Premiação da Academia deveria privilegiar homens.

Além de ESCRITORA, era FEMINISTA e lutava pelo direito das mulheres na sociedade, atuando como porta-voz do movimento sufragista em 1911. Anos mais tarde, em 1914, foi também a primeira mulher a ter conquistado o posto de membro da Academia Sueca e, desta posição, buscou abrir caminho para que outras mulheres tivessem suas candidaturas e méritos reconhecidos na Instituição, possibilitando a candidatura da italiana Grazia Delleda, que anos mais tarde, em 1926,  também seria contemplada pelo Nobel de Literatura. 

Em 1919, foi o rosto marcante da campanha pelo sufrágio feminino e atuou intensamente pelo direito político das mulheres ao voto, estava diretamente envolvida com a política local, onde era membra do conselho municipal e concedeu apoio à fundação do Partido Liberal.

Durante a Segunda Guerra, agiu para retirar intelectuais e judeus do genocídio na Alemanha nazista, possibilitando que a futura mulher ganhadora do Nobel, também de Literatura, em 1966, a alemã Nelly Saches, fugisse do seu país.

Vocês conhecerão as histórias de todas essas ganhadoras do Nobel de Literatura e outras tantas áreas, aqui no nosso blog, e sem querer dar spoiler, são todas incríveis!!! Vale a pena conferir! Mas hoje, vamos contar um pouquinho mais a história da sensacional Selma Lagerlöf!


Selma Lagerlöf

Fonte: rosefirerising; Licença: CC BY-NC-ND 2.0

 

HISTÓRIA DE VIDA 

Nascida em 20 de novembro de 1858, em Mårbacka na Suécia, a vida de Selma Lagerlöf já começou com uma história de superação. Ainda aos três anos de idade, a pequena menina de origem sueca foi vítima de uma paralisia oriunda de uma doença de causa não especificada, que a impossibilitou de andar por cerca de 4 anos e interferiu na sua mobilidade ao longo de toda sua vida. A família Lagerlöf morava na propriedade Mårbacka, no condado sueco de Värmland, que era uma herança de sua bisavó a sua avó paterna Elisabet Maria Wennervik.

Sua relação com a literatura começou cedo. Ainda criança, encantava-se pelas histórias e lendas contadas pela avó paterna, a quem Selma atribui sua fonte de inspiração em seu livro Mårbacka (1922). Aos 7 anos, motivada pela família a ler e escrever poesia, nasce nela o desejo de escrever romances após ter contato com o livro indiano Osceola de Mayne Reids.

Em 1881, contra a vontade de seu pai, ingressou na Academia Real de Educação Superior para Mulheres, em Estocolmo. Naqueles tempos, ensinar era a única profissão acessível às mulheres suecas de sua época, e assim, tornou-se professora em 1885. Neste período, aprofundou-se em leituras de importantes escritores do século XIX, entre eles Charles Darwin, Henry Spenser e Theodore Parker.

Com o falecimento do seu pai no mesmo ano em que Lagerlöf se formou, por problemas financeiros, ela e sua mãe precisaram vender a propriedade em que moravam e mudaram-se para a casa de uma tia em Landskrona. Na nova cidade, Lagerlöf exerceu a docência por uma década enquanto trabalhava como autora em seu tempo livre.

Seu maior envolvimento com as causas sociais veio com a amiga Elise Malmros, que lhe mostrou os problemas e privações das pessoas envolvidas na pobreza e a discriminação da qual eram vítimas, o que a levou a defender e apoiar a questão social com os meios que dispunha.

Em 1890, incentivada pela baronesa Sophie Adlersparre, que era um importante nome do movimento feminista sueco, publicou capítulos do seu primeiro romance escrito “A Saga de Gösta Berling” na revista literária feminista Dagny, e ganhou a premiação de melhor romance da revista sueca Idun. Com o prêmio da revista e o incentivo financeiro da baronesa, foi possível que Lagerlof deixasse a profissão de professora e fosse capaz de dedicar-se inteiramente à sua jornada literária.


 Selma Lagerlöf, a mulher pioneira a ganhar o prêmio Nobel de Literatura

Fonte: rosefirerising; Licença: CC BY-NC-ND 2.0

 

Com a publicação do livro completo, contou com outras duas mulheres que foram cruciais para o desenvolvimento de sua carreira: Ida Falbe-Hansen, que traduziu para o dinamarquês “A Saga de Gösta Berling” e Sophie Alberti, membra da Women's Readers Association, que a recomendou a enviar o romance ao mais importante crítico literário, Georges Brandes, que, impressionado com o trabalho de Lagerlöf, publicou uma resenha em um dos jornais mais importantes da época, tornando seu trabalho admirado e reconhecido.

Quatro anos mais tarde, conheceu a também escritora e sueca Sophie Elkan.  Dividiram uma vida amorosa, tornaram-se grandes companheiras e analisavam mutuamente o trabalho uma da outra.

Numa época em que apenas homens tinham influência no campo literário, e não era comum mulheres serem acompanhadas e orientadas por outras mulheres, Lagerlöf desafiou as normas impostas pela sociedade e além de deixar por escrito a forte influência que Elkan teve em seu trabalho, deu mérito a companheira em seu discurso na premiação do Nobel.

A escritora alcançou reputação mundial e seus trabalhos foram traduzidos para diversas línguas estrangeiras. “A maravilhosa jornada de Nils Holgersson através da Suécia” foi traduzida para cerca de 60 idiomas e “A saga de Gösta Berling” para cerca de 50.

Foi graças as suas obras de sucesso e a conquista do prêmio Nobel, que Lagerlöf conseguiu recuperar a fazenda em 1907, tornando-se novamente seu lar até o fim de sua vida, em 16 de março de 1940.


POR QUE GANHOU O NOBEL DA LITERATURA?

Selma Lagerlöf foi a primeira mulher a ganhar o Nobel de Literatura em 1909. A escritora conquistou este feito memorável pela sua enorme contribuição nesta arte. Foi atribuído a ela o Nobel "pelo idealismo nobre, riqueza de imaginação e equilíbrio dos seus textos". Sua escrita rompeu com muitos protocolos da época e mostrou que, mesmo obras realistas e de época, poderiam ter um descritivismo cativante ou um ar imaginativo encantador.

Suas contribuições para a literatura, são obras de grande repercussão como “A Saga de Gösta Berling” (1891), “Milagres do Anticristo” (1897), “Jerusalém” (1901 - 1902). Entre seus muitos outros trabalhos estão “A Maravilhosa Viagem de Nils Holgersson através da Suécia” (1906 - 1907), adotado em todas as escolas primárias suecas, “O Imperador de Portugal” (1914) e os romances “Löwensköldska ring”, “Charlotte Löwensköld” e “Anna Svärd” (1925 - 1928), que formam uma trilogia. Três livros autobiográficos foram publicados em 1922, 1930 e 1932. 


Selma Lagerlöf

Fonte: rosefirerising; Licença: CC BY-NC-ND 2.0

 


ALGUMAS OBRAS ESCRITAS POR SELMA LAGERLÖF

            Selma escreveu várias histórias durante a vida. Muitas delas influenciadas por sua terra natal, o distrito sueco de Värmland, e por suas viagens. Os temas comuns de suas narrativas em prosa eram a religiosidade e a sobrenaturalidade medieval, como lendas e contos folclóricos.

O romance ficcional “Jerusalém” retrata gerações rurais suecas durante o século XIX. É uma obra sobre um grupo de camponeses deste local que migram para Jerusalém fiéis na volta do Cristo à terra prometida e convictos de que o fim do mundo estava por vir. Fez grande sucesso na época de sua publicação em 1901, consagrando-se como uma das obras primas da autora.

“A maravilhosa viagem de Nils Holgersson através da Suécia”, publicada em 1907, é um livro de história e geografia da Suécia feito para crianças de escola primária. A publicação fez muito sucesso e foi o que possibilitou a Selma comprar novamente a propriedade Marbacka, onde passaria a viver até a sua morte. O livro, voltado ao público infantil, narra a história de um menino da Escânia. Este, por sua vez, é transformado em um gnomo por um duende, por causa de seu mal comportamento. Até que um ganso doméstico o leva em suas costas para voos pelo território da Suécia. Ele participa de muitas aventuras no mundo dos animais, aprendendo com eles, até o dia em que retorna à forma humana, após ter se mostrado uma “criança melhor”.

A “Saga de Gösta Berling” foi o primeiro romance publicado por Selma Lagerlof. Ele abriu muitas portas para ela e a possibilitou ganhar prêmios. A obra narra um ano da vida de Gösta Berling, um ex-sacerdote alcoólatra, em uma província que lembra muito a sua terra natal, Värmland.

Nesse pequeno texto, conhecemos um pouco a Selma Lagerlöf escritora, detalhista, professora, imaginativa, feminista, ganhadora de um Nobel, mulher e tantas outras!

 

Por Jéssica Jamal, Alana D’Ornelas e Clarice D. B. Amaral



Infográfico: Jéssica Jamal; @mulheresnasciencias.ufpr

 

PARA CONHECER MAIS A AUTORA

Você pode conhecer mais da história dessa escritora incrível em alguns materiais produzidos e disponíveis na internet. Este vídeo do Youtube: (HIPERLINK) conta de uma forma bastante inusitada a história de Selma Lagerlof. Com caracterização e cenários da época em que a escritora viveu, é possível mergulhar na vida de Selma de uma perspectiva única! Infelizmente, o vídeo possui apenas legendas em inglês, mas vale à pena conferir!

No site Good Reads (HIPERLINK) é possível conferir algumas frases de autoria de Selma Lagerlof. Conhecer sua obra nos faz adentrar um pouquinho no mundo que ela acreditava, sentia e queria transmitir às pessoas. 

O filme “Jerusalém” foi produzido na Suécia em 1996 por Bille August. Ele foi fundamentado no romance de mesmo nome de Selma Langerlof. A Escandinávia rural do século passado é retratada no longa e a comunidade local é abalada pela chegada de um pregador fundamentalista vindo dos Estados Unidos. A trama se desenvolve com um grupo formado para ir até Jerusalém, não sem muito drama envolvido. Você pode conferir aqui  o trailer do filme. 

 

REFERÊNCIAS

Selma Lagerlöfs Mårbacka. Disponível em: <https://marbacka.com/> Acesso em: 6 jul. 2020.

Selma Lagerlöf-Sällskapet. Disponível em: <http://selmalagerlof.org/> Acesso em: 6 jul. 2020.

Quién fue Selma Lagerlöf, la primera mujer que recibió el Premio Nobel de Literatura. Disponível em:<https://www.infobae.com/america/cultura-america/2019/04/19/quien-fue-selma-lagerlof-la-primera-mujer-que-recibio-el-premio-nobel-de-literatura/>. Acesso em 6 jul. 2020.

GÓES, L. Todos os ganhadores do Prêmio Nobel de Literatura: 1901-2010.

Disponível em: <https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=OKxcBAAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT2&dq=info:QsmJVZZI9T4J:scholar.google.com/&ots=A8vpfeAi9N&sig=yaOjL_O8B9_UHnUwYn-rMvi-Tc4#v=onepage&q&f=false>. Acesso em 13 jul. 2020

La Nobel que salvó del nazismo a otra Nobel. Disponível em: <https://elpais.com/cultura/2017/12/14/actualidad/1513280621_663900.html>. Acesso em: 13 jul. 2020

Há 110 anos, Selma Lagerlöf tornou-se na primeira mulher a receber o Prémio Nobel da Literatura. Disponível em: <https://observador.pt/2019/10/09/ha-110-anos-selma-lagerlof-tornou-se-na-primeira-mulher-a-receber-o-premio-nobel-da-literatura/>. Acesso em: 13 jul. 2020.

The Nobel Prize. Disponível em:<https://www.nobelprize.org/prizes/literature/1909/lagerlof/facts/>

Algo Sobre. Selma Lagerlöf. Disponível em: <https://www.algosobre.com.br/biografias/selma-lagerlof.html>

Selma Lagerlöf. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Selma_Lagerlöf>. Acesso em: 13 jul. 2020.

Selma Lagerlöf (1858-1940). Biography of Selma Lagerlöf. Disponível em: <https://www.thoughtco.com/selma-lagerlof-biography-3530375>. Acesso em: 13 jul. 2020.

Jerusalém (livro sueco). Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Jerusalém_(livro_sueco)>. Acesso em: 13 jul. 2020.

A maravilhosa viagem de Nils Holgersson através da Suécia. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/A_Maravilhosa_Viagem_de_Nils_Holgersson_através_da_Suécia> . Acesso em: 13 jul. 2020



Comentários