ADA YONATH, NOBEL DE QUÍMICA, 2009

Ada Yonath, a cientista que desvendou a estrutura do ribossomo

        Olá amigas e amigos! Esperamos que todos estejam bem! Hoje iremos conhecer a história de Ada Yonath, uma cristalógrafa israelense conhecida por suas descobertas pioneiras sobre a estrutura e a função dos ribossomos. Além disso, sua pesquisa foi essencial para entender o funcionamento dos antibióticos.
        Durante muitos anos ela foi considerada por muitos cientistas como louca e sonhadora, devido a suas ousadas tentativas de cristalizar ribossomos. Porém Ada não desistiu e seguiu firme em seus estudos com muita curiosidade e persistência tornando-se a primeira mulher israelense a receber o Prêmio Nobel em Química!

        Curiosos para conhecer essa inspiradora cientista? Venham com a gente!


        Ada Yonath nasceu no dia 22 de junho de 1939 em Jerusalém. Ela veio de uma família muito pobre e religiosa, em que seu pai, Hillel, era rabino e dono de uma mercearia pouco lucrativa para sustentar a família. Além da dificuldade financeira, Hillel possuía a saúde muito fragilizada e frequentemente e necessitava ser hospitalizado. Quando Ada completou 11 anos de idade ele faleceu. Naquela época Ada morava em aposentos apertados com sua mãe Esther e com várias outras famílias, porém seus livros eram sua maior companhia.
        Apesar da falta de dinheiro e de não possuírem educação formal, o senhor Hillel e a senhora Esther sempre se esforçaram para que Ada pudesse ter uma educação adequada e, com muita dificuldade, ela frequentou uma escola secundária muito bem referenciada chamada Beit Hakerem. Com a morte de seu pai, passou a ajudar no sustento da família, trabalhando de babá e fazendo limpeza em alguns locais e mesmo em meio a tantas adversidades, ela sempre manteve a vontade de estudar.
        Dessa forma, em 1959 Ada se matriculou no curso de química na Universidade Hebraica de Jerusalém e, depois de concluída a graduação iniciou seu mestrado em bioquímica na mesma Universidade. Entre 1964 e 1968 se dedicou ao doutorado no Instituto Weizmann – situado na cidade de Rehovot, Israel. Em seguida, fez seu pós-doutorado no Instituto de Tecnologia de Massachussets - Estados Unidos e investigou a estrutura de proteínas, sendo uma delas o colágeno. Em 1970, concluído o pós-doutorado, ela retornou para o Instituto Weizmann e estabeleceu o primeiro (e por muito tempo, único) Laboratório de Cristalografia Biológica de Israel. A partir de então, mergulhou no objeto de estudo ao qual se dedica até hoje: o ribossomo, a organela celular que catalisa a tradução do código genético em proteínas.
Ada Yonath
Fonte: Weizmann Institute of Science; CC BY-SA 3.0

            Seu principal objetivo era determinar a estrutura tridimensional do ribossomo e assim poder compreender melhor como ocorre o processo de síntese proteica, essencial à vida de todos os organismos. Seu caminho, porém, foi árduo e muitos cientistas diziam que Ada era uma sonhadora e que era impossível alcançar tal objetivo. No final dos anos 1970, as principais equipes científicas em todo o mundo já haviam tentado sem sucesso fazer com que essas estruturas complexas de proteínas e RNA assumissem uma forma cristalina que pudesse ser estudada. Mas ela não desistiu! Sonhadora ou não, seu trabalho árduo trouxe resultados: Ada e seus colegas fizeram incríveis 25.000 tentativas antes de conseguirem os primeiros cristais de ribossomo, em 1980.
            Mas seu trabalho estava apenas começando. Nos vinte anos seguintes, ela e seus colegas continuaram a aprimorar sua técnica. Ada fez uma enorme contribuição para o campo da química, introduzindo técnicas inovadoras em biocristalografia criogênica para permitir a cristalografia ribossômica. Então, no ano de 2000, equipes do Instituto Weizmann e do Instituto Max Planck em Hamburgo - Alemanha resolveram, pela primeira vez, a estrutura espacial completa de ambas as subunidades de um ribossomo bacteriano. A revista Science contabilizou essa conquista entre os dez desenvolvimentos científicos mais importantes daquele ano e, em 2001, as equipes revelaram exatamente como certos antibióticos são capazes de eliminar bactérias patogênicas ligando-se a seus ribossomos e evitando que produzam proteínas essenciais.
            Devido ao seu brilhante trabalho, Ada recebeu em 2009 o Prêmio Nobel de Química juntamente com outros dois pesquisadores - Venkatraman Ramakrishnan e Thomas Steitz - pelo mapeamento da estrutura do ribossomo.

Infográfico: Rayssa de Moura e Francesca @silfraen
       
 Ada revelou em detalhes como a informação genética é decodificada e como a flexibilidade inerente do ribossomo contribui para a seletividade dos antibióticos. Atualmente, essas descobertas são muito importantes no estudo do desenvolvimento de antibióticos avançados.
        Hoje ela é diretora do Centro de Estrutura e Arranjo Biomolecular do Instituto Weizmann e recebe muitos convites em todo mundo para realizar palestras.

“Passei anos ouvindo que era louca por abraçar projetos que outros cientistas diziam ser impossíveis, mas isso não me abalava”.

Ada Yonath

Ada é sinônimo de força e persistência, uma grande inspiração para todas nós!

Um forte abraço e até mais.

Por Rayssa de Moura e Tatiana Simões

CURIOSIDADES:

· Ada recebeu muitos prêmios e honrarias internacionais, alguns deles são: o Prêmio Israel (2002), o Prêmio Wolf (2007), Prêmio Mundial Albert Einstein para a Ciência (2008) e o prêmio L’Oréal-UNESCO para Mulheres na Ciência.

· A cientista foi a primeira mulher do Oriente Médio a ser laureada com o Prêmio Nobel em ciências e a quarta mulher da história a ganhar o Nobel de Química.

· Apesar de todos os chamados que Ada recebe para divulgação de seu trabalho e do papel da mulher na ciência, o convite de sua neta de 5 anos para que ela fosse ao jardim de infância falar sobre ribossomos foi o mais especial.

PRA SABER MAIS:

Apresentação de Ada Yonath, Prêmio Nobel:
Polar bears, unpaved roads, Everest climbing and Ribosomes in action. Slides de Ada. E Yonath, Nobel prize. 2009. https://www.nobelprize.org/uploads/2018/06/yonath-lecture-slides.pdf

Artigos escrito por Ada e colaboradores sobre a pequena subunidade ribossômica:

YONATH, A.E.; SCLUENZEN, F.; TOCILJ, A.; ZARIVACH, R.; HARMS, J.; GLUEHMANN, M.; JANELL, D.; BASHAN, A.; BARTELS, H.; AGMON, I.; FRANCESCHI, F. Structure of Functionally Activated Small Ribosomal Subunit at 3.3 A˚ Resolution. Cell, v. 102 p. 615-623, 2000

YONATH, A.E; HARMS, J.; SCLUENZEN, F.; ZARIVACH, R.; BASHAN, A.; GAT, S.; AGMON, I.; BARTELS, H.; FRANCESCHI, F. High Resolution Structure of the Large Ribosomal Subunit from a Mesophilic Eubacterium, Cell, v. 30, p. 679-688, 2001

REFERÊNCIAS:

The Nobel Prize. Ada E. Yonath. Disponível em:

https://www.nobelprize.org/prizes/chemistry/2009/yonath/facts/ Acesso em: 09 mar. 2021.

The Nobel Prize. Ada E. Younath, Biographical. Disponível em:

https://www.nobelprize.org/prizes/chemistry/2009/yonath/biographical/

Acesso em: 09 mar. 2021.

Nobel Prize in Chemistry 2009. Disponível em: http://www.weizmann.ac.il/YonathNobel/ Acesso em: 10 mar. 2021.

A Nobel Ada E. Yonath: Desvendando os ribossomos. Veronezi, G.M.B. 2016.

Disponível em:https://www.blogs.unicamp.br/cienciapelosolhosdelas/2016/07/22/nobel-ada-yonath-desvendando-os-ribossomos/ Acesso em: 09 mar. 2021.







Comentários